terça-feira, 1 de setembro de 2015

ORGANIZAR-SE MENTALMENTE TAMBÉM FAZ PARTE DE NOSSO DIA-A-DIA



ORGANIZAR-SE MENTALMENTE TAMBÉM FAZ PARTE DE NOSSO
DIA-A-DIA



Quanto mais pensamos em nós no sentido de sermos um
ser prepotente, individualista, maior é a chance de errar e menos de acertar,
erros passíveis de equívocos, são esses os erros que mais nos afetam, erros em
que se tratando de equívoco, não nos importamos com o desgaste que esse venha
nos trazer, ou seja, necessariamente nem tanto ligamos, é como se tivéssemos
alienados ha esse hábito de não se importar com o prejuízo presente.


É natural que pensamos assim passivamente, visto que
somos humanos e passíveis de erros. Quando olhamos para algo que nos interessa
logo pensamos em como tirar daquilo algo em que nos satisfaça ou possa nos
satisfazer no momento ou futuramente. Pensamos então com o sentimento de culpa
e não com o sentimento da razão em que nos culpamos por não poder ter ou não
conseguir, momento em que a dúvida do eu entra em ação, sem pensar muito e até
com o pensamento formado em satisfação pessoal a qual de decidir, logo pensamos
no que é mais conveniente, mesmo sabendo que o  que é mais conveniente nem
sempre é o que podemos ter como certo. Um exemplo clássico é o empírico
(indivíduo que aprendeu tudo na prática), esse indivíduo muitas das vezes toma
decisões em que o derrubam, outras que o levantam e de todos os tombos
(percalços da vida) que passou na vida aprendeu algo, mas não precisamos de
tanto, basta nos policiar. Mas policiar como, buscando conhecimento, seja
conversando, escutando, estudando e até mesmo nas brincadeiras e rodas de
amigos, sim sempre aprendemos. Não podemos ter o medo interior ou mesmo o
sentido de que se perguntar algo estamos mostrando ou demonstrando que somos
incapazes. Sim, incapazes se por não perguntar algo   que estamos com
dúvida, agir conforme descrito acima por força do habito de que tudo que é
conveniente é o certo e logo assim se é para nós é para outros, até mesmo em
certos textos de interpretação de leis pensamos no sentido do calor de
sentimento humano quando interpretamos com o calor do sentimento, logo estamos
decidindo por nós mesmos e nunca com o que este disposto em algum artigo
proposto, seja essa lei, regra, documento, estatuto em que se possa deixar
errar, pois ali descrimina o que deve e o que não deve ser decidido.


Policiar-nos é termos a plena consciência em que
estamos nos direcionando a certo nível de organização de vida social a qual nos
dará frutos de entendimento, crescimento, amadurecimento, ética moral e o maior
talvez de todos os respeito ao semelhante, já que nossas dúvidas nem sempre
afeta só nós mesmos, mas em muitos aspectos de sentido de ordem natural da vida
a qual denota diferenças muitas das vezes incontáveis e até mesmo
irreparáveis.   É muito importante saber ouvir, mas também, entender
o que estamos ouvindo, talvez o mais difícil para muitos a dúvida de perguntar
o que não entendeu e assim deixar de  cometer equívocos os quais sem
necessidade.



Portanto perguntar não quer jamais dizer que estamos
demonstrando que não sabemos, mas sim um ato de inteligência, propondo assim,
muitas vezes, talvez até a dúvida de sanar um futuro erro o qual por outro ter
sido tomado no calor da emoção, isso quando se tratando de trabalho.


Por isso; organizar-se mentalmente também faz parte de
nosso dia-a-dia.


                   
                           ------------ Messias Albino ------------